A Galeria Bruno Múrias localiza-se em Lisboa e representa atualmente dez artistas nacionais e internacionais. As suas obras divergem na medida da multiplicidade plástica e expressiva que exploram, mas convergem na partilha de algumas das significações, simbologias e materialidades que utilizam. Essa convergência converte-se no fio condutor da visão da galeria que assenta na valorização de certos aspetos formais, temáticos e investigativos que pontuam as propostas artísticas contemporâneas.

Desse conjunto de aspetos salientam-se, por um lado, o trabalho em torno das possibilidades da leitura do objeto artístico ou da sua transformação, dada através de jogos ficcionais, na subversão simbólica dos códigos da obra ou por via da reintegração e ativação “atualizada” de certas arqueologias da arte que, assim, somam às obras camadas relevantes de significação; na mesma linha, salienta-se a investigação das dimensões formais e conceptuais dos media utilizados, que variam entre os meios tradicionais da arte – como a pintura, a escultura ou o desenho – ou meios mais contemporâneos – como a fotografia, o filme, o vídeo, o som ou a performance –, cujas particularidades materiais, digitais ou mecânicas concedem ao objeto artístico novas possibilidades de percepção e de compreensão; por outro lado, destacam-se os questionamentos relacionados com o corpo – o corpo na obra, ou em obra, no espaço e com o espaço – e a experiência do mundo contemporâneo ou, mais concretamente, o equacionamento crítico dessa experiência, social e política, da sua transitoriedade própria entre a esfera pública e a esfera privada, dos termos do lugar habitável, do corpo vivo no seio do espaço urbano construído, dos limites e possibilidades da interação ou da fuga.

Os artistas representados pela Galeria Bruno Múrias são: António Júlio Duarte, Bruno Cidra, Henrique Pavão, Isabel Simões, Jorge Queiroz, Julian Rosefeldt, Marcelo Cidade, Pablo Accinelli, Ricardo Jacinto, Rui Calçada Bastos e Vera Mota.

 

Bruno Múrias
TOPO